plaza coches.africanas.jpg

I. TRAVESSIAS [Investigação e divulgação da História da Ibero-América na sua relação com a História de Portugal e com a História do Algarve]

No âmbito deste projeto estruturante e essencial na vocação do ICIA, a associada Maria da Graça Mateus Ventura continuará a desenvolver o seu trabalho científico, no âmbito da História da Ibero-América, como investigadora principal no Centro de História da Universidade de Lisboa (CH-Ulisboa),  investigadora associada no CHAM – Centro de  Humanidades da Universidade Nova de Lisboa e membro da Asociación Española de Americanistas e da AHILA (Associação de Historiadores latino-americanistas europeus).

No âmbito da vocação de estudo e investigação da História da Ibero-América  e do Algarve na sua relação com a Andaluzia e com Marrocos, será encorajada a participação dos nossos associados.

 

Projetos de Investigação

1.1 BIOGRAFIA DA FAMÍLIA GRAMAXO

Após os estudos já publicados por Maria da Graça Ventura e apresentações em colóquios internacionais sobre  questões teóricas e metodológicas concernentes à Biografia, este projeto visa construir uma biografia da família Gramaxo, com raízes em Portimão, em contexto relacional no âmbito da economia e da sociedade moderna, estabelecendo a interação dinâmica de agentes comerciais no espaço atlântico, no Algarve, na Andaluzia, em África e em Cartagena das Indias nos séculos XVI e XVII.

Este projeto culminará na edição de um livro e será objeto, durante a sua elaboração, de ações de divulgação.

1.2. AS CIDADES DO GHARB AL-ANDALUS

Trabalho de investigação de Frederico Mendes Paula sobre o urbanismo do Al-Andalus que está a desenvolver há mais de um ano e que será publicado em livro em 2022 com apoio de várias entidades oficiais e não oficiais. O tema e sobretudo a investigação a ele associada poderá ser interessante para desenvolver outras iniciativas.

Travessias

Em coerência com a ideia de uma cidade entre dois mares, no âmbito da cooperação com o Centro de História da Universidade de Lisboa, continuaremos a atravessar o Atlântico no rasto da “vaga gente” lusitana que demandou as Américas.