A Nossa História

Dezanove professores e investigadores de Portugal, Espanha e Brasil fundaram, em Portimão, em 21 de Julho de 1995, o Instituto de Cultura Ibero-Atlântica ...

Dezanove professores e investigadores de Portugal, Espanha e Brasil fundaram, em Portimão, em 21 de Julho de 1995, o Instituto de Cultura Ibero-Atlântica, com o patrocínio da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses e da Câmara Municipal de Portimão.

Desde essa data, o ICIA tem desenvolvido uma profícua atividade científica e cultural, em cooperação com universidades e outras entidades nacionais e estrangeiras. Entre 1995 e 2005, o ICIA organizou onze edições das Jornadas de História Ibero-americana, que foram uma referência no panorama cultural e científico regional e nacional; publicou onze livros de Actas dos referidos encontros científicos; no âmbito das mesmas Jornadas promoveu concertos, sessões de teatro e encontros com escritores.

No domínio da divulgação científica, o ICIA promoveu a edição de uma coleção de estudos, designada Travessias, que conta atualmente com cinco títulos correspondentes a dissertações de mestrado e de doutoramento. Ainda no campo editorial publicou a Revista Atlântica de Cultura Iberoamericana da qual foram editados seis números.

Paralelamente à sua atividade de divulgação cultural e científica, o ICIA definiu como estratégia de descentralização a oferta de Cursos de Mestrado no domínio das Ciências Sociais e Humanas, tendo, em 27 de Julho de 1998, com o patrocínio do Município de Portimão, estabelecido um protocolo de cooperação com a Universidade de Lisboa e com a Universidade do Algarve, proporcionando aos licenciados residentes no Algarve a frequência de Cursos de Mestrado em História Regional e Local, em História Contemporânea e em Filosofia da Natureza e do Ambiente. Entre 1998 e 2005, frequentaram os cinco cursos oferecidos 70 alunos, dos quais 10 residentes em Portimão obtiveram o grau de mestre pela Universidade de Lisboa tendo os restantes concluído a parte curricular equivalente a pós-graduação.

Em 2002, o ICIA subscreveu, como coo-fundador, a Cátedra de Estudos Ibero-americanos criada por convénio entre a Organização dos Estados Ibero-americanos, os Ministérios da Educação e da Cultura de Portugal e as Universidades de Lisboa e do Algarve. A Presidente do ICIA foi coordenadora executiva da referida cátedra que funcionou na Universidade do Algarve no triénio 2002-2005.

 

Em 7 de Novembro de 2005, o ICIA obteve o estatuto de utilidade pública, considerando o elevado mérito da intervenção cultural e divulgação científica da associação.

 

A par da sua vocação de estudo e divulgação da história ibero-americana, o ICIA tem, também, orientado a sua atividade ao estudo e divulgação da história e cultura mediterrânicas, integrando a Rede Portuguesa da Fundação Euro-mediterrânica Anna Lindh para o Diálogo entre as Culturas que tem por objetivo genérico a promoção do partenariado euro-mediterrânico e do diálogo intercultural e do respeito pela diversidade do espaço mediterrânico. 

Entre 2009 e 2013, o ICIA dedicou a sua atividade ao espaço mediterrânico, sobretudo através da cooperação com o GEHIMAB, uma associação sem fins lucrativos, sediada em Bejaia; nesse quadro, realizou diversas ações relacionadas com a vivência do escritor, político e viajante portimonense Manuel Teixeira Gomes, naquela cidade argelina onde viveu os últimos dez anos da sua vida, designadamente, divulgando a sua vida e obra em congressos, colóquios e seminários.

Em 2014 e 2015, o ICIA promoveu novos espaços de investigação e divulgação da história e cultura ibero-americana, através de um ciclo de conferências sobre “Os descobrimentos e a expansão ibérica” com um título geral "As Novidades do Mundo" e um seminário permanente de apresentação e divulgação de um projeto de investigação em curso, sobre “Biografias de portugueses na Ibero América na época moderna”.

 

Recentemente, o ICIA tem vindo diversificar a sua atividade nos domínios da literatura, do património gastronómico regional e ibero-americano, da criação teatral e da histórica ibero-americana.